Malwee vai fabricar jeans com 99% menos água

O uso de laser vai permitir que o gasto de água na produção de uma calça jeans da Malwee caia dos 100 litros atuais para 200 mililitros

A Malwee definiu um plano de investir 100 milhões de reais até 2021 com foco em projetos sustentáveis. A principal meta é reduzir o consumo de água utilizada na fabricação anual de 35 milhões de peças de roupa.

O uso de laser vai permitir que o gasto de água na produção de uma calça jeans caia dos 100 litros atuais para 200 mililitros. A inovação ainda vai reduzir o custo das peças em cerca de 4% — a companhia fabrica aproximadamente 1 milhão de calças jeans por ano.

A novidade é destaque no Portal Exame.com. Confira em: http://bit.ly/2X4k1rz.

Criação do Parque Malwee: o mais famoso cartão postal de Jaraguá do Sul (SC)

Inaugurado em 1978 pelo fundador da Malwee, Wolfgang Weege, o Parque Malwee é referência nacional em preservação ambiental e lazer. Localizado em Jaraguá do Sul, cidade-sede do Grupo Malwee, o parque possui 1,5 milhão de metros quadrados, 16 lagoas, mais de 35 mil árvores plantadas entre espécies nativas e exóticas e uma fauna considerada acima da média, dada sua localização em um centro urbano. Aberto ao público diariamente de forma gratuita, o parque é sede de diversos eventos e atrai mais de 100 mil visitantes por ano.

Pioneiros na utilização de matérias-primas que não agridem o meio ambiente

O Grupo Malwee é uma das primeiras empresas do Brasil a produzir roupas utilizando matérias-primas que não agridem o meio ambiente, sem deixar de lado o alto padrão de qualidade. Entre os materiais utilizados está a malha PET (produzida a partir da reciclagem de garrafas plásticas) e o algodão desfibrado (originado do reaproveitamento das sobras dos próprios tecidos). Desde o início do projeto, mais de 25 milhões de garrafas PET foram retiradas da natureza e transformadas em peças de moda, beneficiando milhares de famílias e entidades envolvidas no processo de reciclagem.

Adoção de matriz energética 100% ecológica no processo produtivo

Em 2016, o Grupo Malwee investiu R$ 7 milhões na substituição da caldeira de Gás Natural, considerada a principal fonte de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) da empresa, por uma fonte de menor emissão: o cavaco de madeira (biomassa). Ao contrário do Gás Natural, o cavaco é um combustível renovável, produzido a partir da trituração de resíduos de serrarias e ponteiras de pinus/eucaliptos e de toras originadas de manejos de reflorestamento.  As operações usando a biomassa como combustível para geração de energia térmica trouxeram resultados expressivos como a redução de 77% nas emissões totais de GEE.

Manutenção da Reserva de Fontes e Verdes: 1,3 milhão m² destinados exclusivamente para pesquisa científica

Instituída, desde 2012, como Reserva Particular do Patrimônio Natural Estadual, a reserva mantida pelo Grupo Malwee é destinada exclusivamente para pesquisa científica. A unidade possui mais de 1,3 milhão de metros quadrados, abriga 21 nascentes integrantes da microbacia do Rio Jaraguá, assim como espécies da flora e da fauna da Mata Atlântica ameaçadas de extinção.

Investimento de R$ 12 milhões em um moderno sistema de tratamento de efluentes industrial

A Malwee foi pioneira ao implantar a primeira estação de tratamento Ecobiológica de Efluentes Industriais da América do Sul.  O investimento de R$ 12 milhões permite o reuso de mais de 200 milhões de litros de água no processo produtivo. A iniciativa já foi premiada nacionalmente e tem servido de exemplo para várias plantas fabris nacionais e internacionais do setor têxtil e de outros segmentos industriais.

Manutenção do Pico Malwee: 1,4 milhão m² de área verde conservada

O Pico Malwee é uma área mantida para fins de conservação, mas que ainda não teve sua riqueza ecológica mapeada. Localizado em Jaraguá do Sul, no bairro Barra do Rio Cerro, o local é uma importante atração turística da região. Com 550 metros de altura, possui uma rampa para a prática de voo livre e também pode ser utilizado para a prática de trekking (trilhas). O acesso e a visitação dependem de autorização e agendamento na Associação Recreativa da Malwee.

By F/FWD