Malwee é a 1ª marca de moda brasileira a assinar compromisso da ONU pelo clima

Conectada com a geração de consumidores conscientes, a marca participa do movimento para conter o aumento da temperatura da terra em 1,5° C

A Malwee é a primeira marca de moda brasileira a assinar o termo de compromisso da campanha global Business Ambition for 1.5°C: Our Only Futurelançada pela ONU. A iniciativa busca engajar empresas com a meta de limitar o aumento da temperatura média mundial a 1,5°C acima dos níveis pré-industriais e chegar ao objetivo de zero emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) antes de 2050.

Em agosto, 32 líderes globais da moda lançaram o Fashion Pact formalizando o compromisso com o clima, durante reunião do G7, na França. No Brasil, a Malwee é a primeira a integrar o movimento. A mobilização leva em consideração um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que alerta sobre as consequências potencialmente catastróficas se o aquecimento global exceder 1,5 ° C.

Para atingir os objetivos do pacto, as empresas se comprometem a alinhar seus negócios às metas baseadas na ciência definidas pelo Science Based Targets Initiative (SBTi), instituição independente que avalia as metas corporativas de redução de emissões de acordo com o que os cientistas do clima dizem ser necessário para cumprir os objetivos do Acordo de Paris. O SBTi é resultado de uma parceria entre CDP, Pacto Global da ONU, World Resources Institute (WRI) e WWF.

“Não podemos ignorar a emergência climática que vivemos hoje. Por isso, nossa adesão resulta em traçar metas ainda mais ousadas de redução de Gases de Efeito Estufa e, ao mesmo tempo, estimular nossa cadeia e os demais players do nosso setor a se engajarem nessa jornada”, explica Guilherme Weege, CEO do Grupo Malwee e Embaixador do Clima da Rede Brasil do Pacto Global da ONU.

Em 2015, o Grupo Malwee lançou seu Plano de Sustentabilidade 2020 com a meta de reduzir 20% a emissão de gases de efeito estufa até 2020. A meta, entretanto, foi atingida ainda em 2017, com o investimento de R$ 7 milhões na substituição da caldeira de gás natural por caldeira de biomassa (cavaco de madeira). “O uso dessa energia renovável nos permitiu atingir 68% de redução nos escopos 1 e 2, mas ainda podemos chegar mais longe”, complementa Guilherme.

Considerada uma das maiores empresas de moda do Brasil, o Grupo Malwee acumula uma série de investimentos e iniciativas para reduzir o impacto de suas atividades no meio ambiente. Em dezembro, Guilherme apresentará os avanços da empresa e do Plano de Sustentabilidade 2020 durante a Conferência Climática das Nações Unidas (COP25), no Chile.

A marca Malwee liderou iniciativas pioneiras no Brasil como o uso de malha PET, produzidas com poliéster reciclado (mais de 30 milhões de garrafas já foram retiradas do meio ambiente), de algodão desfibrado (produzido a partir da reciclagem de resíduos de malhas) e de processos de tingimento que permitem economizar até 98% do volume de água (como no caso do tingimento das cores neon).

“Temos um forte compromisso com a sociedade e o meio ambiente. Para nós, moda e sustentabilidade andam juntos. É preciso incentivar o consumo consciente e, por meio de peças pensadas a partir de um novo conceito, estimular a reflexão dos clientes a respeito de temas como o aquecimento global”, afirma Taise Beduschi, Gestora de Sustentabilidade do Grupo Malwee.

By F/FWD